CHAPA 01-MT

Candidatos:

WILSON FERNANDO VARGAS DE ANDRADE (Titular) e LUCIANO NAREZI DE BRITO (suplente)
ANA DE CASSIA MORAES ABDALLA BERNARDINO (Titular) e CARLOS RENATO PINA DOS SANTOS (suplente)
ISABELLA MAMPRIM BALBINO (Titular) e INÊS VIEIRA SERPA (suplente)
JOSÉ ANTONIO LEMOS DOS SANTOS (Titular) e JULIANA DEMARTINI (suplente)
JOÃO LUCAS DE CARVALHO NEVES (Titular) e MAURICIO JOSE MANSUR (suplente)
GISLAINE FABRIS (Titular) e GERALDO AUGUSTO PERRUPATO DE SOUSA (suplente)
DORIANE AZEVEDO (Titular) e MAURICIO GUIMARAES DE OLIVEIRA (suplente)
FABIOLA FATIMA MARTINO (Titular) e VANDREIA CRISTIANE FERNANDES SANTOS PIRONNET (suplente)
MARIANA TAMPIERI SERAPHIM COELHO (Titular) e ALBA REGINA BADOCO (suplente)
JANDIRA MARIA PEDROLLO (Titular) e VERA REGINA MAGALHAES BAGGETTI (suplente)

Obs. Veja a síntese de currículos de cada candidato após o plano de trabalho.

Plano de trabalho:

1. Desenvolver campanhas pela valorização profissional do Arquiteto e Urbanista. • Defender as atividades privativas dos arquitetos e urbanistas previstas na Resolução 51 e promover campanhas juntos aos agentes do poder público (executivo, legislativo e judiciário) e a sociedade da sua abrangência; • Defender a elaboração do projeto completo para garantir a execução de obras de qualidade e custos compatíveis, favorecendo o controle e a transparência para o cliente público e privado; • Estimular a modalidade de concurso de projetos de arquitetura e urbanismo, especialmente para oportunizar inovações e ampliar o mercado de trabalho para os jovens profissionais; • Promover oficinas e rodas de diálogo para o debate dos caminhos futuros da profissão de arquitetura e urbanismo buscando sugestão dos profissionais para intensificar as ações do CAU. 2. Orientar, disciplinar e fiscalizar o exercício profissional e o cumprimento do Código de Ética e Disciplina do CAU. • Desenvolver um canal de comunicação permanente com os profissionais do Estado para sugestões de metas estruturantes à profissão; • Intensificar a fiscalização de concursos e contratações para serviços, obras e projetos que discrimine o profissional de arquitetura e urbanismo; • Manter a disseminação do código de ética para entendimento de todos os profissionais para evitar infração por desconhecimento; • Intensificar os planos de fiscalização para o exercício ilegal da profissão, a fim de reduzir a prática irregular da profissão de arquitetos e urbanistas por leigos. 3. Divulgar e orientar a aplicação da Tabela de Honorários de Serviços de Arquitetura e Urbanismo, assim como fomentar ações pela remuneração digna e justa ao Arquiteto e Urbanista no exercício da profissão. • Estimular e apoiar ações das entidades e associações locais de arquitetos e urbanistas para difusão da tabela de honorários, desenvolvida pelo CEAU - Colegiado Permanente das Entidades Nacionais de Arquitetura e Urbanismo e homologada pelo CAU/BR, para subsidiar propostas de melhoria para a compreensão pelos profissionais, órgãos públicos e a sociedade. 4. Ampliar a presença dos serviços do CAU/MT no interior do estado. • Reforçar as ações do “CAU-CONECT” – itinerante, que percorrerá os diversos polos, regiões e municípios do Estado promovendo o atendimento presencial, realizando fiscalização e cursos orientados para operacionalização das atividades desenvolvidas pelo CAU de interesse dos profissionais. 5. Fazer gestão junto aos órgãos e instituições da administração pública, especialmente às Prefeituras para: • Estimular a criação e manutenção de quadros técnicos compostos de Arquitetos e Urbanistas para o desenvolvimento das atividades referentes à profissão; • Incentivar e apoiar a criação de Lei de Assistência Técnica para atendimento às populações de baixa renda com a contratação de profissionais de arquitetura e urbanismo para coordenação das equipes de trabalho; • Desenvolver, em parceria com o Sindicato dos Arquitetos e Urbanistas no Estado de Mato Grosso – Sindarq/MT, campanhas e ações para garantir a remuneração do piso salarial dos arquitetos e urbanistas e valorização da carreira, com gestão baseada na meritocracia; • Sugerir medidas e apoiar ações das Prefeituras para inibir a execução de obras sem projeto e sem o acompanhamento de profissional habilitado, executadas por leigos; 6. Apoiar o projeto para elaboração de Plano Diretor Participativo em 106 municípios, sob a orientação do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD e de acordo com a Nova Agenda Urbana aprovada na Conferência da Organização das Nações Unidas - ONU, HABITAT III, em Quito no Equador, em parceria com a Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM, a Assembleia Legislativa – AL/MT e o Tribunal de Contas do Estado – TCE/MT. • Defender o planejamento urbano como instrumento de desenvolvimento e transformação das cidades. 7. Intensificar a aproximação com as Instituições de Ensino de Arquitetura e Urbanismo. • Participar ativamente com palestras e seminários para os estudantes relativos ao exercício profissional, mercado de trabalho e ética. 8. Instituir modelo de gestão por meio das seguintes ações: • Intensificar a transparência da gestão e dos gastos do Conselho possibilitando a participação dos profissionais nas decisões tomadas e na definição de prioridades; • Apoiar o fortalecimento das entidades representativas dos Arquitetos e Urbanistas de Mato Grosso para a composição do CEAU – Colégio Permanente das Entidades Nacionais de Arquitetura e Urbanismo; 9. Ampliar o canal de comunicação com o CAU/BR; • Propor a reavaliação do modelo do Fundo de Apoio aos CAUs de pequeno porte possibilitando isentar a contribuição dos CAUs de médio porte, com propósito de reverter esses recursos para ações em benefício do CAU no estado; • Propor a criação de programas de incentivos financeiros mediante repasse do CAU/BR para os CAUs o para o desenvolvimento de ações de interesse local.

Candidatos a conselheiro federal e suplente:

WILSON FERNANDO VARGAS DE ANDRADE ( TITULAR )